CAMPO DE SÃO FRANCISCO * PONTA DELGADA - SÃO MIGUEL - AÇORES *

18
Out 13

 

 

PÁGINA LITÚRGICA

ANO LITÚRGICO C

ANO III - Semana de 19 a 25/10/2013

DOMINGO XXIX DO TEMPO COMUM

 

LEITURA I - Ex 17, 8-13

Leitura do Livro do Êxodo

Naqueles dias, Amalec veio a Refidim atacar Israel. Moisés disse a Josué: «Escolhe alguns homens e amanhã sai a combater Amalec. Eu irei colocar-me no cimo da colina, com a vara de Deus na mão». Josué fez o que Moisés lhe ordenara e atacou Amalec, enquanto Moisés, Aarão e Hur subiram ao cimo da colina. Quando Moisés tinha as mãos levantadas, Israel ganhava vantagem; mas quando as deixava cair, tinha vantagem Amalec. Como as mãos de Moisés se iam tornando pesadas, trouxeram uma pedra e colocaram-na por debaixo para que ele se sentasse, enquanto Aarão e Hur, um de cada lado, lhe seguravam as mãos. Assim se mantiveram firmes as suas mãos até ao pôr-do-sol e Josué desbaratou Amalec e o seu povo ao fio da espada.

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL - Salmo 120 (121), 1-8 (R. cf. 2)

Refrão: O nosso auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra. Repete-se

 

LEITURA II - 2 Tim 3, 14 – 4, 2

Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo

Caríssimo: Permanece firme no que aprendeste e aceitaste como certo, sabendo de quem o aprendeste. Desde a infância conheces as Sagradas Escrituras; elas podem dar-te a sabedoria que leva à salvação, pela fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura, inspirada por Deus, é útil para ensinar, persuadir, corrigir e formar segundo a justiça. Assim o homem de Deus será perfeito, bem preparado para todas as boas obras. Conjuro-te diante de Deus e de Jesus Cristo, que há-de julgar os vivos e os mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: Proclama a palavra, insiste a propósito e fora de propósito, argumenta, ameaça e exorta, com toda a paciência e doutrina.

Palavra do Senhor.

 

 

EVANGELHO - Lc 18, 1-8

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos uma parábola sobre a necessidade de orar sempre sem desanimar: «Em certa cidade vivia um juiz que não temia a Deus nem respeitava os homens. Havia naquela cidade uma viúva que vinha ter com ele e lhe dizia: ‘Faz-me justiça contra o meu adversário’. Durante muito tempo ele não quis atendê-la. Mas depois disse consigo: ‘É certo que eu não temo a Deus nem respeito os homens; mas, porque esta viúva me importuna, vou fazer-lhe justiça, para que não venha incomodar-me indefinidamente’». E o Senhor acrescentou: «Escutai o que diz o juiz iníquo!... E Deus não havia de fazer justiça aos seus eleitos, que por Ele clamam dia e noite, e iria fazê-los esperar muito tempo? Eu vos digo que lhes fará justiça bem depressa. Mas quando voltar o Filho do homem, encontrará fé sobre a terra?».

Palavra da salvação.

 

NOTA EXPLICATIVA

                             

LEITURA I

«Quando Moisés erguia as mãos, Israel ganhava vantagem»

O episódio de Moisés de braços erguidos em oração pela vitória do seu povo no combate contra os Amalecitas é-nos hoje lido em relação com a leitura do Evangelho, em que se nos fala da perseverança na oração. Seremos capazes de acreditar que Deus tem os ouvidos atentos à oração dos pobres e dos humildes que sabem confiar-se a Ele?

LEITURA II

«O homem de Deus será perfeito, bem preparado para todas as boas obras»

Ao procurar a formação do seu discípulo Timóteo, S. Paulo incute-lhe o amor à palavra de Deus, contida na Sagrada Escritura. A leitura assídua que dela fazemos, ao menos mas sobretudo na celebração da liturgia, é a melhor escola de formação no serviço de Deus, e sempre alimento que fortifica no crescimento da vida em Cristo, pois que ela continua a ser criadora.

EVANGELHO

«Deus fará justiça aos seus eleitos, que por Ele clamam»

No princípio da leitura desta passagem do Evangelho explica-se a intenção de Jesus ao pronunciar esta parábola: “Sobre a necessidade de orar sempre, sem desanimar”. A maior penúria do homem não será não possuir, mas não ter coragem de sentir a necessidade de pedir! Não queremos ser certamente dos que vão desanimar na sua fé antes da vinda do Senhor! Para isso, oramos sem cessar.

 

INFORMAÇÕES

 

► Em retificação à informação sobre a realização no dia 24 do corrente pelas 20:30 horas do encontro de formação para todos os que na Ouvidoria trabalham na área da informática das paróquias, não terá lugar no Centro Missionário dos Padres de Dehonianos, na freguesia do Livramento, mas sim no Centro Paroquial da freguesia da Matriz desta cidade, no nº 12 – 1º andar e será orientada pelo Padre José da Encarnação Cabral.

► No dia 24 (quinta-feira), pelas 11 horas celebra-se na nossa igreja uma Eucaristia de sufrágio pelos militares, integrada na comemoração do Dia do Exército.

► No dia 27 mudança da hora, pelo que à 1 hora da madrugada deste dia os relógios atrasam 1 hora. O serviço religioso na nossa igreja irá manter-se no mesmo horário.

► Dia 1 de novembro (sexta-feira), conferência sobre o tema “Anunciar a Fé de uma maneira nova”, pelo Padre Tolentino de Mendonça, na igreja do Colégio com início pelas 20:30 horas.

► Dia 3 (domingo) celebração da Eucaristia com Te-Deum, Dia da Igreja Diocesana “Final oficial do Ano da Fé na Ouvidoria” a realizar na igreja do Colégio às 17 horas. Pelo facto não haverá na nossa igreja a celebração eucarística das 18 horas.

► Voltamos a recordar que continuam em curso, as obras de restauro da capela do Santíssimo Sacramento, que foram orçadas no valor de 21.790 €, tendo já sido recebido vários donativos no montante de cerca de 12.000 €, estando assim por cobrir a importância de 9.790 €, o que mais uma vez vimos apelar à generosidade dos nossos paroquianos e não só.

publicado por Ruben Amorim em:- igrejasaojose às 12:33

pesquisar
 
PÁROCOS DA PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ DE PONTA DELGADA
  • 1.º - Bacharel Ascénio Gonçalves -
  • 2.º - Padre Francisco Fernandes – 1581 a
  • 3.º - Padre José da Costa Marrecos – 1635 a 1669 (34 anos)
  • 4.º - Padre Francisco da Cunha Prestes – 1670 a 1687 (17 anos)
  • 5.º - Padre Cristóvão Soares de Melo – 1692 a 1725 (33 anos)
  • 6.º - Padre Pedro Ferreira de Medeiros – 1726 a 1760 (34 anos)
  • 7.º - Padre João Francisco Tavares – 1764 a 1768 (4 anos)
  • 8.º - Padre Joaquim de França – 1790 a 1798 (8 anos)
  • 9.º - Padre Manuel José do Rego – 1800 a 1809 (9 anos)
  • 10.º - Padre Jacinto Tavares do Rego Oliveira – 1814 a 1831 (17 anos)
  • 11.º - Cónego José de Medeiros e Sousa – 1833 a 1868 (25 anos)
  • 12.º - Padre António Luciano Horta – 1868 a 1891 (23 anos)
  • 13.º - Padre Manuel Augusto Pereira – 27/9/1893 a 1932 (39 anos)
  • 14.º - Padre Adelino Francisco de Oliveira – 1932 a 1939 (7 anos)
  • 15.º - Padre Jacinto Monteiro (vacatura) – 1939
  • 16.º - Monsenhor António de Almeida Maia – 22/10/1939 a 1992 (53 anos)
  • 17.º - Padre Laudalino de Sousa Duarte Frazão – 1992 a 8/8/2000 (8 anos)
  • 18.º - Monsenhor e Cónego José Garcia – 8/8/2000 a 17/10/2010 (10 anos)
  • 19.º - Padre Dr. Duarte Manuel Espírito Santo Melo – 17/10/2010
  • COMPILAÇÃO
    Rúben Borges de Medeiros Amorim - Contacto:- ruben.amorim@sapo.pt
    pesquisar