CAMPO DE SÃO FRANCISCO * PONTA DELGADA - SÃO MIGUEL - AÇORES *

08
Jul 11

 

 

PÁGINA LITÚRGICA

Ano A

Semana de 09 a 15/07/2011

DOMINGO XV DO TEMPO COMUM

 

LEITURA I - Is 55, 10-11

Leitura do Livro de Isaías

Eis o que diz o Senhor: «Assim como a chuva e a neve que descem do céu não voltam para lá sem terem regado a terra, sem a terem fecundado e feito produzir, para que dê a semente ao semeador e o pão para comer, assim a palavra que sai da minha boca não volta sem ter produzido o seu efeito, sem ter cumprido a minha vontade, sem ter realizado a sua missão».

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL - Salmo 64 (65), 10abcd.10e-11.12-13.14 (R. Lc 8, 8)

Refrão: A semente caiu em boa terra e deu muito fruto. Repete-se

 

LEITURA II -Rom 8, 18-23

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos

Irmãos: Eu penso que os sofrimentos do tempo presente não têm comparação com a glória que se há-de manifestar em nós. Na verdade, as criaturas esperam ansiosamente a revelação dos filhos de Deus. Elas estão sujeitas à vã situação do mundo, não por sua vontade, mas por vontade d’Aquele que as submeteu, com a esperança de que as mesmas criaturas sejam também libertadas da corrupção que escraviza, para receberem a gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Sabemos que toda a criatura geme ainda agora e sofre as dores da maternidade. E não só ela, mas também nós, que possuímos as primícias do Espírito, gememos interiormente, esperando a adopção filial e a libertação do nosso corpo.

Palavra do Senhor. 

 

EVANGELHO - Forma breve Mt 13, 1-9

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-Se à beira-mar. Reuniu-se à sua volta tão grande multidão que teve de subir para um barco e sentar-Se, enquanto a multidão ficava na margem. Disse muitas coisas em parábolas, nestes termos: «Saiu o semeador a semear. Quando semeava, caíram algumas sementes ao longo do caminho: vieram as aves e comeram-nas. Outras caíram em sítios pedregosos, onde não havia muita terra, e logo nasceram, porque a terra era pouco profunda; mas depois de nascer o sol, queimaram-se e secaram, por não terem raiz. Outras caíram entre espinhos e os espinhos cresceram e afogaram-nas. Outras caíram em boa terra e deram fruto: umas, cem; outras, sessenta; outras, trinta por um. Quem tem ouvidos, oiça».

Palavra da salvação.

 

NOTA EXPLICATIVA

DOMINGO XV DO TEMPO COMUM
  LEITURA I

«A chuva faz a terra produzir»

Na terceira leitura deste domingo, o Senhor vai comparar a palavra de Deus à semente, que é lançada à terra. Mas, desde já, nesta primeira leitura, nos é dito, pela boca do profeta, que a semente da palavra tem em si mesma uma força divina que a torna eficaz, cheia de capacidade para que possa produzir todo o alimento de que o homem necessita para o seu espírito.

LEITURA II

«As criaturas esperam a revelação dos filhos de Deus»

O pecado do homem faz com que toda a criação, de que o homem é a cabeça, participe no estado de escravatura a que ele próprio se reduziu, mas a libertação, que de Deus nos vem por Jesus Cristo, há-de estender-se a todas as criaturas e fazer como que uma nova criação. E assim todos e tudo encontrarão a unidade em Deus, por Jesus Cristo. 

EVANGELHO

«Saiu o semeador a semea»

Jesus fala em parábolas. Hoje apresenta a do semeador. A palavra de Deus, fonte de vida, continua a ser semeada sobre a terra imensa dos homens, e produzirá muito fruto, se essa terra for capaz de a receber. A palavra vem a nós em cada celebração litúrgica, na leitura individual da Sagrada Escritura, no eco que dentro de nós se faz ouvir a partir das vezes em que, no passado, a escutámos, desde os tempos, talvez distantes, da catequese ou da família onde crescemos, e até nos acontecimentos da vida e na própria voz da criação. Tudo nos repete a palavra de Deus.

I N F O R M A Ç Õ E S

Dia 11 – Pelas 19 horas, realiza-se uma reunião com a Comissão dos Assuntos Económicos da Paróquia e os Membros da Comissão dos Bens Culturais, com vista à resolução de diversos assuntos relacionados com os referidos bens culturais da Paróquia.

Dia 13 – Reunião na JOC pelas 20 horas, com o grupo de Catequistas.

Dia 16 – Celebra-se com uma Eucaristia pelas 12 horas, a memória obrigatória de Nossa Senhora do Carmo, na igreja do mesmo orago, anexa ao Palácio da Conceição. Para o efeito este templo estará aberto ao culto dos fiéis das 9 às 13 horas.

Dia 17 – Pelas 15 horas, na nossa Igreja Paroquial, realiza-se com a celebração de uma Eucaristia, a Bênção das Pastas dos alunos finalistas do Curso de Enfermagem.

► O Oratório de Nossa Senhora de Fátima da rua Teófilo Braga, recolheu no passado mês de Junho, a importância de 18,60€, valor esse destinado a ajudar as despesas correntes da nossa igreja.

► De um anónimo, foi recebido a oferta de 100€, destinado à manutenção da capela do Santíssimo Sacramento.

 

AGRADECIMENTOS

► Queremos agradecer aos paroquianos residentes nas ruas por onde no passado domingo passou a procissão do Santíssimo Sacramento, o empenho que tiveram na ornamentação da frente das suas residências assim como as varandas e janelas com lindas colchas pendentes.

► Um agradecimento também, mas desta feita, a todos os paroquianos em geral pelo contributo que deram no auxílio para as despesas inerentes com a realização da Festa do Sagrado Coração de Jesus. O montante obtido foi de 3.085 €.

► Também queremos agradecer aos movimentos da paróquia que colaboraram na Festa do Sagrado Coração de Jesus, nomeadamente: Apostolado da Oração; Vicentinas; Legião de Maria; Escuteiros Marítimos; Coral de Jovens; Coral de S. José; Acólitos; Catequistas e Equipe de Ornamentação. Muito obrigado a todos.

► Por último, o nosso agradecimento pela comparticipação que tivemos da Junta de Freguesia de São José, nas pessoas dos Exmos. Presidente Sr. Francisco Mota e Tesoureiro Sr. José Pedro, no pagamento à Filarmónica e berberete à mesma oferecido, não esquecendo também a verdura oferecida para a ornamentação do átrio da igreja assim como, a rua poente do Campo de S. Francisco. Um muito obrigado.

publicado por Ruben Amorim em:- igrejasaojose às 16:11

pesquisar
 
PÁROCOS DA PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ DE PONTA DELGADA
  • 1.º - Bacharel Ascénio Gonçalves -
  • 2.º - Padre Francisco Fernandes – 1581 a
  • 3.º - Padre José da Costa Marrecos – 1635 a 1669 (34 anos)
  • 4.º - Padre Francisco da Cunha Prestes – 1670 a 1687 (17 anos)
  • 5.º - Padre Cristóvão Soares de Melo – 1692 a 1725 (33 anos)
  • 6.º - Padre Pedro Ferreira de Medeiros – 1726 a 1760 (34 anos)
  • 7.º - Padre João Francisco Tavares – 1764 a 1768 (4 anos)
  • 8.º - Padre Joaquim de França – 1790 a 1798 (8 anos)
  • 9.º - Padre Manuel José do Rego – 1800 a 1809 (9 anos)
  • 10.º - Padre Jacinto Tavares do Rego Oliveira – 1814 a 1831 (17 anos)
  • 11.º - Cónego José de Medeiros e Sousa – 1833 a 1868 (25 anos)
  • 12.º - Padre António Luciano Horta – 1868 a 1891 (23 anos)
  • 13.º - Padre Manuel Augusto Pereira – 27/9/1893 a 1932 (39 anos)
  • 14.º - Padre Adelino Francisco de Oliveira – 1932 a 1939 (7 anos)
  • 15.º - Padre Jacinto Monteiro (vacatura) – 1939
  • 16.º - Monsenhor António de Almeida Maia – 22/10/1939 a 1992 (53 anos)
  • 17.º - Padre Laudalino de Sousa Duarte Frazão – 1992 a 8/8/2000 (8 anos)
  • 18.º - Monsenhor e Cónego José Garcia – 8/8/2000 a 17/10/2010 (10 anos)
  • 19.º - Padre Dr. Duarte Manuel Espírito Santo Melo – 17/10/2010
  • COMPILAÇÃO
    Rúben Borges de Medeiros Amorim - Contacto:- ruben.amorim@sapo.pt
    pesquisar