CAMPO DE SÃO FRANCISCO * PONTA DELGADA - SÃO MIGUEL - AÇORES *

24
Jan 14

 

 

 

PÁGINA LITÚRGICA

ANO LITÚRGICO A

ANO IV - Semana de 25 a 31/01/2014

DOMINGO III DO TEMPO COMUM

 

LEITURA I- Is 8, 23b – 9, 3 (9, 1-4)

Leitura do Livro de Isaías

Assim como no tempo passado foi humilhada a terra de Zabulão e de Neftali, também no futuro será coberto de glória o caminho do mar, o Além do Jordão, a Galileia dos gentios. O povo que andava nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam nas sombras da morte uma luz se levantou. Multiplicastes a sua alegria, aumentastes o seu contentamento. Rejubilam na vossa presença, como os que se alegram no tempo da colheita, como exultam os que repartem despojos. Vós quebrastes, como no dia de Madiã, o jugo que pesava sobre o povo, o madeiro que ele tinha sobre os ombros e o bastão do opressor.

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL- Salmo 26 (27), 1.4.13-14 (R. 1a)

Refrão: O Senhor é minha luz e salvação. Repete-se

      Ou: O Senhor me ilumina e me salva. Repete-se

 

LEITURA II- 1 Cor 1, 10-13.17

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo S. Paulo aos Coríntios

Irmãos: Rogo-vos, pelo nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma linguagem e que não haja divisões entre vós, permanecendo bem unidos, no mesmo pensar e no mesmo agir. Eu soube, meus irmãos, pela gente de Cloé, que há divisões entre vós, que há entre vós quem diga: «Eu sou de Paulo», «eu de Apolo», «eu de Pedro», «eu de Cristo». Estará Cristo dividido? Porventura Paulo foi crucificado por vós? Foi em nome de Paulo que recebestes o Batismo? Na verdade, Cristo não me enviou para batizar, mas para anunciar o Evangelho; não, porém, com sabedoria de palavras, a fim de não desvirtuar a cruz de Cristo.

Palavra do Senhor.

 

 

 

EVANGELHOForma breve - Mt 4, 12-17

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Quando Jesus ouviu dizer que João Batista fora preso, retirou-Se para a Galileia. Deixou Nazaré e foi habitar em Cafarnaum, terra à beira-mar, no território de Zabulão e Neftali. Assim se cumpria o que o profeta Isaías anunciara, ao dizer: «Terra de Zabulão e terra de Neftali, estrada do mar, além do Jordão, Galileia dos gentios: o povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam na sombria região da morte uma luz se levantou». Desde então, Jesus começou a pregar: «Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos Céus».

Palavra da salvação.

 

NOTA EXPLICATIVA

                             

LEITURA I

Na Galileia dos gentios o povo viu uma grande luz

No Evangelho deste dia, cita-se esta passagem de Isaías que hoje serve de primeira leitura. Refere-se ela à Galileia, terra de Zabulão e de Neftali, a província mais ao norte de Israel. O profeta anuncia-lhe hoje melhores dias, depois do tempo de exílio. As trevas do momento presente transformar-se-ão em luz e a alegria reinará de novo depois da humilhação. A profecia terá um dia a sua realização perfeita, quando Jesus por aí começar o seu ministério público, como o Evangelho de hoje irá proclamar.

 

LEITURA II

Falai todos a mesma linguagem e não haja divisões

O Apóstolo insurge-se contra as divisões que separam os membros da Igreja de Corinto, divisões que, no caso concreto, assentam até em partidarismos religiosos. E apela para as razões profundas da unidade dos cristãos: Cristo, crucificado por todos; e só Ele e mais ninguém. Os mensageiros do Evangelho são apenas instrumentos d’Ele junto dos irmãos.

 

EVANGELHO

Foi para Cafarnaum, a fim de se cumprir o que anunciara o profeta Isaías

A Galileia vai ser o campo da primeira parte do ministério público de Jesus. É então que essa província há-de presenciar a “grande luz” de que falava a primeira leitura. Ele é a luz; foi assim mesmo que um dia Jesus Se apresentou. E essa luz começou a iluminar, quando Jesus começou a pregar e a chamar os primeiros discípulos. Essa sua luz nunca mais se extinguirá: hoje ainda, e até ao fim, Ele continua a anunciar o reino de Deus e a chamar para ele todos os homens. Assim, a Galileia dos pagãos chegará a tornar-se, um dia, na Galileia da Ressurreição: “Lá Me vereis”, dirá o Senhor ressuscitado.

 

INFORMAÇÕES

 

► Rancho de Romeiros - Com início no dia 11 de janeiro e encerramento no dia 14 de fevereiro, estão abertas no cartório da nossa igreja, as inscrições para a formação do rancho de romeiros da nossa paróquia.

► Dia 29 de janeiro (quarta-feira) pelas 20:30 horas, no Centro Missionário dos Padres Dehonianos, realiza-se um encontro de formação sobre “O Acolhimento nas Paróquias”.

► Dia 1 de fevereiro, primeiro sábado do mês, haverá na nossa igreja a adoração ao Santíssimo Sacramento, das 16:30 às 17:30 horas, ao cuidado das Irmãs Reparadoras da Santa Face.

► São convocados os coordenadores da catequese, para uma reunião a levar a efeito no dia 8 de fevereiro (sábado), pelas 15 horas no Convento do Senhor Santo Cristo dos Milagres.

► Dia 10 de fevereiro (segunda-feira), reúne-se pelas 20 horas o Conselho Pastoral da Ouvidoria com a equipa da Cultura e Comunicação da mesma Ouvidoria, no Centro Pastoral Pio XII.

► Findas as obras de restauro da capela do Santíssimo, iniciaram-se agora as da capela-mor. Por esse motivo, vimos apelar à generosidade dos paroquianos no contributo para tão necessitadas obras.

► Estão sendo distribuídos em todos os lares da paróquia os “ENVELOPES do CULTO”, sendo os mesmos recolhidos no próximo mês de fevereiro. Novamente vimos apelar à preciosa generosidade dos paroquianos a favor da Igreja de São José.

► Um agradecimento ao Sr. Eng.º Joaquim Cunha, pela sua generosidade no empréstimo dos andaimes para o restauro que está a ser levado a efeito na capela-mor da nossa igreja.

 

publicado por Ruben Amorim em:- igrejasaojose às 16:43

pesquisar
 
PÁROCOS DA PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ DE PONTA DELGADA
  • 1.º - Bacharel Ascénio Gonçalves -
  • 2.º - Padre Francisco Fernandes – 1581 a
  • 3.º - Padre José da Costa Marrecos – 1635 a 1669 (34 anos)
  • 4.º - Padre Francisco da Cunha Prestes – 1670 a 1687 (17 anos)
  • 5.º - Padre Cristóvão Soares de Melo – 1692 a 1725 (33 anos)
  • 6.º - Padre Pedro Ferreira de Medeiros – 1726 a 1760 (34 anos)
  • 7.º - Padre João Francisco Tavares – 1764 a 1768 (4 anos)
  • 8.º - Padre Joaquim de França – 1790 a 1798 (8 anos)
  • 9.º - Padre Manuel José do Rego – 1800 a 1809 (9 anos)
  • 10.º - Padre Jacinto Tavares do Rego Oliveira – 1814 a 1831 (17 anos)
  • 11.º - Cónego José de Medeiros e Sousa – 1833 a 1868 (25 anos)
  • 12.º - Padre António Luciano Horta – 1868 a 1891 (23 anos)
  • 13.º - Padre Manuel Augusto Pereira – 27/9/1893 a 1932 (39 anos)
  • 14.º - Padre Adelino Francisco de Oliveira – 1932 a 1939 (7 anos)
  • 15.º - Padre Jacinto Monteiro (vacatura) – 1939
  • 16.º - Monsenhor António de Almeida Maia – 22/10/1939 a 1992 (53 anos)
  • 17.º - Padre Laudalino de Sousa Duarte Frazão – 1992 a 8/8/2000 (8 anos)
  • 18.º - Monsenhor e Cónego José Garcia – 8/8/2000 a 17/10/2010 (10 anos)
  • 19.º - Padre Dr. Duarte Manuel Espírito Santo Melo – 17/10/2010
  • COMPILAÇÃO
    Rúben Borges de Medeiros Amorim - Contacto:- ruben.amorim@sapo.pt
    pesquisar