CAMPO DE SÃO FRANCISCO * PONTA DELGADA - SÃO MIGUEL - AÇORES *

20
Mai 11

 

 

PÁGINA LITÚRGICA

ANO A

Semana de 21 a 27/05/2011

 

DOMINGO V DA PÁSCOA

 

LEITURA I - Actos 6,1-7

Leitura dos Actos dos Apóstolos

Naqueles dias, aumentando o número dos discípulos, os helenistas começaram a murmurar contra os hebreus, porque no serviço diário não se fazia caso das suas viúvas. Então os Doze convocaram a assembleia dos discípulos e disseram: «Não convém que deixemos de pregar a palavra de Deus, para servirmos às mesas. Escolhei entre vós, irmãos, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, para lhes confiarmos esse cargo. Quanto a nós, vamos dedicar-nos totalmente à oração e ao ministério da palavra». A proposta agradou a toda a assembleia; e escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Parmenas e Nicolau, prosélito de Antioquia. Apresentaram-nos aos Apóstolos e estes oraram e impuseram as mãos sobre eles. A palavra de Deus ia-se divulgando cada vez mais; o número dos discípulos aumentava consideravelmente em Jerusalém e obedecia à fé também grande número de sacerdotes.

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL - Salmo 32 (33), 1-2.4-5.18-19 (R. 22)

Refrão: Esperamos, Senhor, na vossa misericórdia. Repete-se

      Ou: Venha sobre nós a vossa bondade.

 

LEITURA II - 1 Pedro 2, 4-9

Leitura da Primeira Epístola de São Pedro

Caríssimos: Aproximai-vos do Senhor, que é a pedra viva, rejeitada pelos homens, mas escolhida e preciosa aos olhos de Deus. E vós mesmos, como pedras vivas, entrai na construção deste templo espiritual, para constituirdes um sacerdócio santo, destinado a oferecer sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus por Jesus Cristo. Por isso se lê na Escritura: «Vou pôr em Sião uma pedra angular, escolhida e preciosa; e quem nela puser a sua confiança não será confundido». Honra, portanto, a vós que acreditais. Para os incrédulos, porém, «a pedra que os construtores rejeitaram tornou-se pedra angular», «pedra de tropeço e pedra de escândalo». Tropeçaram por não acreditarem na palavra, pois foram para isso destinados. Vós, porém, sois «geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido por Deus, para anunciar os louvores» d’Aquele que vos chamou das trevas para a sua luz admirável.

Palavra do Senhor.

 

 

EVANGELHO - Jo 14, 1-12

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não se perturbe o vosso coração. Se acreditais em Deus, acreditai também em Mim. Em casa de meu Pai há muitas moradas; se assim não fosse, Eu vos teria dito que vou preparar-vos um lugar? Quando Eu for preparar-vos um lugar, virei novamente para vos levar comigo, para que, onde Eu estou, estejais vós também. Para onde Eu vou, conheceis o caminho». Disse-Lhe Tomé: «Senhor, não sabemos para onde vais: como podemos conhecer o caminho?». Respondeu-lhe Jesus: «Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por Mim. Se Me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai. Mas desde agora já O conheceis e já O vistes». Disse-Lhe Filipe: «Senhor, mostra-nos o Pai e isto nos basta». Respondeu-lhe Jesus: «Há tanto tempo que estou convosco e não Me conheces, Filipe? Quem Me vê, vê o Pai. Como podes tu dizer: ‘Mostra-nos o Pai’? Não acreditas que Eu estou no Pai e o Pai estáem Mim? Aspalavras que Eu vos digo, não as digo por Mim próprio; mas é o Pai, permanecendo em Mim, que faz as obras. Acreditai-Me: Eu estou no Pai e o Pai está em Mim; acreditai ao menos pelas minhas obras. Em verdade, em verdade vos digo: quem acredita em Mim fará também as obras que Eu faço e fará obras ainda maiores, porque Eu vou para o Pai».

Palavra da salvação.

 

NOTA EXPLICATIVA

 DOMINGO V DA PÁSCOA

LEITURA I

«Escolheram sete homens cheios do Espírito Santo..

Logo desde o princípio, os Apóstolos começaram a sentir a necessidade de chamar outras pessoas para colaborarem em diversos ministérios da comunidade cristã. O grupo dos sete de que hoje se referem os nomes, foram dos primeiros a serem escolhidos. O seu campo de acção foi a assistência material aos mais necessitados, no caso imediato, a certo grupo de viúvas; deste modo os Apóstolos ficavam mais disponíveis para a oração e a pregação da palavra de Deus. A Igreja começava a organizar-se, conforme as necessidades o pediam. 

LEITURA II

«Vós sois geração eleita, sacerdócio real»

A Igreja foi comparada pelo Senhor a um edifício. Agora, o Apóstolo desenvolve a comparação: Cristo é a Pedra, viva pela sua ressurreição e fonte de vida; os cristãos são, por sua vez, pedras vivas, vivendo da vida do Ressuscitado, que unidos a Cristo, vão formando o edifício, o templo novo, em que habita o Espírito Santo, a Igreja. Ela é a comunidade dos crentes, escolhida na continuação do povo escolhido do Antigo Testamento, comunidade sacerdotal, que há-de levar aos pagãos a Boa Nova do reino de Deus, e fazer que também eles proclamem os louvores d’Aquele que os chamou das trevas para a luz do reino de Deus. 

EVANGELHO

«Eu sou o caminho, a verdade e a vida»

Jesus vai deixar visivelmente os seus, a quem o mundo há-de perseguir. Procura, por isso, incutir-lhes coragem e esperança. Ele parte, mas vai para o Pai. Os seus discípulos têm todos lá também o seu lugar. A Igreja seguirá o seu Senhor. Ele mesmo é o caminho, não só pelo que ensina, mas pelo que Ele mesmo é. Ele é a verdade e vida. Mas os seus discípulos, agora ainda mais profundamente unidos a Ele, hão-de continuar no mundo a sua presença e a sua acção, agora na Igreja, enviada ao mundo, sob a acção do Espírito Santo.

 

NOTÍCIAS DA PARÓQUIA E OUTRAS 

A G E N D A 

Dia 21 – Pelas 10:30 horas, realiza-se uma reunião do Pároco, Catequistas responsáveis e Pais das crianças que vão fazer a sua Profissão de Fé.

I N F O R M A Ç Ã O 

- Nos próximos dias 28 e 29 (sábado e Domingo das Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres) a Celebração Eucaristia será no sábado às 18 horas, não havendo qualquer celebração no Domingo.

- Durante a “Campanha de Recolha de Alimentos para os Mais Pobres”, levada a efeito por esta nossa Paróquia de São José, foram recolhidos os seguintes produtos:

Açúcar... 186 Kgs; Arroz... 144 Kgs; Massas... 210 embalagens; Leite...292 litros; Azeite... 61 garrafas; Óleo... 95 garrafas; Nos enlatados - Atum ... 194 latas; Salsichas... 84 latas; Feijão... 55 latas; Grão... 41 latas; Ervilhas... 24 latas; Fruta... 18 latas; Diversos – Nestum, farinha, cogumelos, bolachas, chocolates, etc. 20 embalagens; Amêndoas... 181 pacotes.

No passado dia 19 de Abril, foram alguns destes produtos, distribuídos por diversas famílias carenciadas, cerca de 40 cabazes. Os restantes produtos foram igualmente distribuídos nos passados dias 5, 6 e 7 de Maio, conforme a disponibilidade de cada Vicentino. 

CONCERTO DE PRIMAVERA 

 

 

A convite da Mesa da Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres, o Coral de São José vai realizar o seu habitual Concerto de Primavera, também o da Abertura Solene das Festas – 2011. O referido evento terá lugar na nossa Igreja Paroquial, no dia 26 de Maio (quinta-feira), pelas 21,30 horas e será precedido da conferência "A Igreja e o Estado" por D. Manuel Clemente, Bispo do Porto.    

Serão interpretadas obras de Liszt e de Brahms pelo Coro de Câmara e Coro Sinfónico do Coral de São José. Para o efeito foi convidado o Maestro Adriano Martinolli D'Arcy, sendo a direcção artística do Maestro Luís Filipe Carreiro.

Para além de fazer o habitual acolhimento da Imagem na Igreja de São José, este ano também o nosso Coral foi convidado para cantar o Te Deum à saída da Imagem do Senhor Santo Cristo, no sábado, bem como animar a Eucaristia Solene, no Domingo do Senhor.   

Razões pelas quais o nosso Coral, excepcionalmente este ano, não poderá envolver-se com as suas habituais actividades de restaurante e bar no Salão de São José.

publicado por Ruben Amorim em:- igrejasaojose às 12:54

pesquisar
 
PÁROCOS DA PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ DE PONTA DELGADA
  • 1.º - Bacharel Ascénio Gonçalves -
  • 2.º - Padre Francisco Fernandes – 1581 a
  • 3.º - Padre José da Costa Marrecos – 1635 a 1669 (34 anos)
  • 4.º - Padre Francisco da Cunha Prestes – 1670 a 1687 (17 anos)
  • 5.º - Padre Cristóvão Soares de Melo – 1692 a 1725 (33 anos)
  • 6.º - Padre Pedro Ferreira de Medeiros – 1726 a 1760 (34 anos)
  • 7.º - Padre João Francisco Tavares – 1764 a 1768 (4 anos)
  • 8.º - Padre Joaquim de França – 1790 a 1798 (8 anos)
  • 9.º - Padre Manuel José do Rego – 1800 a 1809 (9 anos)
  • 10.º - Padre Jacinto Tavares do Rego Oliveira – 1814 a 1831 (17 anos)
  • 11.º - Cónego José de Medeiros e Sousa – 1833 a 1868 (25 anos)
  • 12.º - Padre António Luciano Horta – 1868 a 1891 (23 anos)
  • 13.º - Padre Manuel Augusto Pereira – 27/9/1893 a 1932 (39 anos)
  • 14.º - Padre Adelino Francisco de Oliveira – 1932 a 1939 (7 anos)
  • 15.º - Padre Jacinto Monteiro (vacatura) – 1939
  • 16.º - Monsenhor António de Almeida Maia – 22/10/1939 a 1992 (53 anos)
  • 17.º - Padre Laudalino de Sousa Duarte Frazão – 1992 a 8/8/2000 (8 anos)
  • 18.º - Monsenhor e Cónego José Garcia – 8/8/2000 a 17/10/2010 (10 anos)
  • 19.º - Padre Dr. Duarte Manuel Espírito Santo Melo – 17/10/2010
  • COMPILAÇÃO
    Rúben Borges de Medeiros Amorim - Contacto:- ruben.amorim@sapo.pt
    pesquisar